Dancing with the devil... the art of starting over: faixa a faixa do novo álbum da Demi Lovato

Demi Lovato finalmente lançou seu sétimo álbum de estúdio, o "Dancing with de devil... the art of starting over" no dia 02 de abril. Álbum esse, que a cantora relata ser uma trilha sonora da sua vida, que conta a história dos últimos anos desde o acontecimento quase fatal em 2018, uma overdose, que a fez encarar a morte de perto. 

Sobrevivente e de volta a música mais focada do que nunca, Lovato entregou um dos seus álbuns mais coesos e com harmônicos e com um conceito que funcionou tão bem, que deixou a sua finalização melhor do que poderíamos esperar.

O álbum remete lembranças dos seus primeiros trabalhos, mas ainda assim soa como algo inovador, que Demi nunca fez antes. Nesse projeto, nas três primeiras faixas, Demi canta como costuma: atingindo grandes notas e surpreendendo a todos com o seu talento. No restante do álbum, vemos que na maioria das músicas, sua cantoria está mais suave, com outra abordagem, o que trás um tom diferenciado a cada canção, um tom de surpresa. Demi com certeza se desafiou e se sobressaiu nessa. 

Dancing with the devil... the art os starting over apresenta faixas que definitivamente são hits de rádio, tem as que nos fazem chorar, refletir, dançar, nos surpreender, curtir no carro ao caminho da praia e no fim de tudo parabenizar por ter juntado 19 faixas que casaram e fecharam um conjunto sensacional. 

Vamos comentar faixa a faixa: 

Anyone

A canção nós conhecemos a mais de um ano. Foi apresentada pela primeira vez no Grammys de 2020, onde a cantora emocionou a todos que assistiam com a sua vulnerabilidade, força e talento. Talvez o fato de conhecer a música a mais de um ano, tenha me incomodado no inicio por esperar apenas faixas inéditas, mas depois de entender que o álbum carrega o conceito de trilha sonora da sua vida - principalmente desses últimos anos - tudo fez sentido e não teria faixa melhor para abrir o álbum. Fora que das músicas lançadas ano passado, Anyone com toda a certeza do mundo, é a melhor. Não houve erros nessa escolha. 


Dancing With The Devil 

Conhecemos a faixa dia 26/03, uma semana antes do lançamento do álbum. O lead single trás um instrumental forte e vocais poderosos. Com esse conjunto, é difícil de apontar qual o ponto mais forte da música, mas ainda assim aposto que é a letra. Uma narrativa do que Lovato sentia durante o período em que a overdose aconteceu e que conta como aconteceu, é uma surpresa e de uma honestidade bruta. Como uma verdadeira artista, Demi ainda lançou um clipe que auto retratava sua vida na época e que definitivamente é um dos mais fortes que já vi. 

ICU (Madison's Lullabye) 

Escrita para a sua irmã mais nova, a música é frágil (no sentido vulnerável da palavra) e uma verdadeira carta de amor. Nessa faixa se destaca a habilidade de composição da Demi, que co-escreveu a música e seus grandes vocais, como sempre. O trocadilho de ICU (que seria UTI em português) para I see you é algo que um artista de verdade faz. Demi conta que escreveu essa música inspirada no momento em que não conseguiu ver sua irmã quando estava internada na UTI. Uma artista inspiradora demais. 

Intro

Com referências das três primeiras faixas, Lovato apresenta na intro uma nova fase do álbum que narra a pessoa que é hoje. Nunca feito antes em nenhum dos seus álbuns, achei uma novidade arriscada, mas que deu certo com todo o conceito. 


The Art Of Starting Over 

Um pop tão gosto de ouvir que só faz você querer dançar e curtir a música. Eu tatuaria pelo menos duas frases dessa música. Literalmente aqui Demi mostra que está mestre na arte de recomeçar. A faixa é fresca, marca sua voz de uma forma suave e tem uma letra divertida e harmônica com a melodia. 

Lonely People 

Essa faixa é surpreendente para mim. Ela me leva aos tempos de Here we go again por algum motivo e ainda assim soa como algo que Demi nunca fez. E encaixa tão bem no álbum que me surpreende. Com uma letra e batida divertida, o refrão vem com um coro que desperta a vontade de um belo show. Ai ai, saudade.  

The Way You Don't Look At Me 

Outra faixa que me remete o Here we go again. Tão vulnerável, poética e sincera,  lembra faixas como Catch Me, Stop the World e World of Chances - e todas são minhas queridinhas - mas de novo, ainda soa como algo inovador para Demi. Talvez seja como suave sua voz parece na faixa, talvez seja porque não via uma faixa como essa em nenhum dos seus álbuns mais recentes. O fato é que: funcionou. E eu imploro para que ela continue fazendo faixas parecidas. 

Melon Cake 

Pop perfection. Hit hit hit. Eu imploro que seja single. A faixa é uma autobiografia sobre Demi, fala sobre a sua antiga equipe que a sufocava, conta sobre sua fase atual, como ela está poderosa e no controle das suas escolhas e é super divertida. Um pop com uma letra incrível, sem ser vazio ou superficial. E olha que eu não esperava muita coisa dessa... 

Met Him Last Night (feat. Ariana Grande) 

Provavelmente próximo single (já que Demi confirmou que vem o clipe), a tão esperada colaboração entre as melhores vocalistas da geração finalmente aconteceu! Outro pop perfection. Divertida, sexy e surpreendente. Esse é o resumo da faixa. Tem seus vocais fortes, com grandes notas, mas nada que saia da curva e deixa em evidência como Ariana e Demi funcionam juntas. Existe sincronia e a sonoridade parece perfeita. Fora que saber da amizade das duas e como elas se apoiam é maravilhoso. I've seen the devil... 


What Other People Say (com Sam Fischer)

Conhecemos a faixa antes do lançamento do álbum e sem ao menos imaginar que ela estaria na setlist. Tem até clipe com o Sam Fischer no seu canal oficial e alavancou o cantor nos charts e nas redes sociais. Fora que ele se mostra um grande fã da Demi e a apoia como um verdadeiro Lovatic, eu amo. A faixa é divertida e eu gostei desde o lançamento. De novo, a primeiro momento foi estranho estar incluida por não ser uma faixa inédita, mas ela é completamente em harmonia com todo o resto do álbum. Não errou nessa escolha, também. 

Carefully 

Amei logo na primeira frase. Tão aconchegante. Com um som tão nostálgico que lembra a maravilhosa Catch Me. Com uma letra tão sincera que demonstra suas inseguranças ao se apaixonar e a vontade que aconteça. Uma letra completamente humana e romântica. Um pop tão gostosinho de ouvir com fones e ser levado pela melodia. 

The Kind Of Lover I Am 

Divertida e inovadora. É isso que essa música é. A faixa trás um pop diferenciado e fala sobre a sexualidade de Demi com uma naturalidade excepcional. Além de ter uma letra que simplesmente te faz querer sorrir. A coisa mais surpreendente na faixa provavelmente é a parte falada no final da música. Liberada antes do lançamento oficial, a parte ficou questionável entre os fãs se seria uma boa opção, e para a surpresa de todos, soou perfeitamente bem encaixado. 

Easy (with Noah Cyrus)

Uma faixa para chorar. Obrigada por isso Demi. E com um encontro de vozes maravilhoso. Amo a Noah Cyrus loucamente e diga-se de passagem, conheço o seu trabalho por causa da Demi Lovato. Ter as duas em uma faixa é simplesmente um prazer enorme. Ter as duas na faixa Easy eu nem sei descrever. Letra emocionante e de partir o coração, tem um instrumental de um violino tão hipnotizante que me arrepia. Definitivamente uma das minhas favoritas. 

15 Minutes 

Faixa que relata a relação com Max Ehrich - que rendeu um noivado relâmpago e que eu pessoalmente detestava - ou que pelo menos relata como terminou a relação. Outro pop gostoso de ouvir e com uma letra interessante que mostra como Demi procura ser sincera na sua setlist em relação a sua arte conciliando com sua vida. Fora que é uma letra poderosa e de superação. Praying in Malibu, hou could you? Crying in Malibu... um verdadeiro hino. 

My Girlfriend Are My Boyfriend (feat. Saweetie) 

Hit, hit, hit. Completamente divertida, perfeita para ouvir enquanto se prepara para sair com suas amigas, com a narrativa de poder feminino e amizade, é um pop tão gostoso de ouvir que domina. Com os vocais suaves o feat com a poderosa Saweetie não poderia ter saído um resultado melhor. 

California Sober 

Faixa perfeita para ouvir no carro, no fone de ouvido no ônibus, em um momento de paz. Letra que conta sobre recomeçar, mudar, superar. E de uma forma tão leve que só trás serenidade. Na faixa, Lovato conta como lida com a forma que está lidando com uma "sobriedade moderada" como conta no seu documentário e dessa narrativa ela fez uma faixa pop maravilhosa com uma das melhores pontes musicais do álbum. 


Mad World 

A música que na verdade é um cover, se encaixou tão bem na narrativa do álbum que me deixou até surpresa. Com os vocais mais suaves possíveis, Mad World simplesmente casou com a voz de Demi Lovato e com a historia que seu novo álbum precisava contar. Demi acertou muito ao decidir inserir o cover na setlist. 

Butterfly 

Uma das minhas preferidas. Essa faixa relata uma conclusão na vida da cantora, que vem sendo narrada desdeo Unbroken: sua relação com o pai. Dessa vez, com uma letra que reflete como ela é uma pessoa melhor mesmo com os erros dele e como hoje, ela encontrou perdão. Diferente, forte e inovadora, é um pop que é a cara desse álbum. Ps: eu amo a ponte dessa música. É perfeita e eu repetiria o dia inteiro de pudesse. 

Good Place 

Acho de verdade, que é a minha faixa favorita. Emocional demais, forte e suave na mesma intensidade, complexa e reflexiva. Com uma conclusão que não só a Demi precisava, mas todos seus fãs. A faixa finaliza a história com um final feliz que a cantora merecia. Conclui essa fase da sua vida que foi de Anyone até Good Place, onde Lovato determina que está em um bom lugar nesse momento. E que continue assim. 

Para fechar, Dancing with the devil... the art of starting over deve ser o melhor álbum de Demi. Com uma grande história a ser contada, é também o álbum que ela trabalhou por mais tempo, teve tempo de desenvolver e encontrar o som perfeito para contar a sua história. E graças a Deus ela pode nos proporcionar com tamanho trabalho. Não acredito que poderia ter sido melhor... 

E o que vocês acharam do álbum? 

Logo mais tenho mais post sobre ele. 

Comentários